Roupas para (se) curtir

foto mami home.jpeg

Um pouco sobre tudo isso

Quando eu era pequena, minha mãe costurava nossas roupas e  uniformes. Eram sempre os mais lindos, bem cortadas e bem acabadas. Meu avô tecia redes de pesca que nunca usou, com ferramentas de bambu que ele mesmo fazia. Minha avó fazia tricô e crochê o dia todo e preparava o melhor ozoni que já comi.

 

Desde sempre, o processo de aprender faz parte de mim.

Aprender os porquês das coisas, aprender técnicas diversas, novas sinapses que me permitem criar e executar tudo que quiser.

 

Tanto o aprender técnico quanto o processo intelectual de criação são fundamentais para mim - não saberia fazer um sem o outro.

 

Aqui, o prazer vem de poder ter um lugar de reflexão sobre a vida e nossos desejos, e poder ser um lugar de troca de afetos.

 

Isso tudo me faz muito feliz.

 

Fico feliz quando alguém me conta que tem uma roupa minha há anos, que sempre é elogiada quando usa.

 

Fico feliz de misturar técnicas tradicionais com novas tecnologias de estamparia, bordados e outros métodos têxteis.

 

Fico feliz que as roupas caiam bem nas mais diversas silhuetas,  que minha modelagem consiga alegrar esses corpos e esses corações. Eu comecei a fazer roupas porque meu corpo nunca foi convencional.

 

Por isso nem sempre temos a grade completa de tamanhos em todos os modelos. Nossas roupas são um pouco como pessoas: na maioria dos casos únicas, mesmo que parte de uma coleção.

Esperamos que vocês gostem!

 

por tipo de peça

ou por coleção